[ editar artigo]

Três principais aéreas do Brasil têm lucro líquido de R$ 194 mi no segundo trimestre

As três principais aéreas do Brasil - Azul, Gol e Latam - registraram, em conjunto, lucro líquido de R$ 194,1 milhões no segundo trimestre.

Segundo divulgou a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), esse resultado apresenta margem líquida de 2%, em relação ao prejuízo líquido de R$ 1,6 bilhão calculado e margem líquida negativa de 20,9% no mesmo período de 2018.

Individualmente, Azul e Gol registraram lucro líquido no segundo trimestre. Enquanto a primeira somou R$ 341,8 milhões, a segunda apresentou rendimento de R$ 60,5 milhões. A Latam teve um resultado negativo de R$ 208,3 milhões entre abril e junho.

Vale lembrar que a Avianca Brasil, em razão da suspensão de voos, não tem a obrigação de enviar suas demonstrações contábeis à Anac.

A análise da Anac aponta que o querosene de aviação subiu 11,5% nesse período. Da mesma forma, a taxa de câmbio do real frente ao dólar esteve 8,7% maior do que no segundo trimestre do ano passado.

Como resultado, o combustível e a taxa de câmbio foram influentes nos custos do transporte aéreo dessas empresas.

Três principais aéreas têm prejuízo no semestre

Entretanto, no acumulado do primeiro semestre, houve prejuízo líquido de R$ 84,5 milhões e margem líquida negativa de 0,4% para as três principais aéreas. Nos seis primeiros meses do ano passado, porém, as perdas foram de R$ 1,2 bilhão e margem negativa de 7,4%.

De janeiro a junho, a receita operacional líquida agregada das três empresas teve acréscimo de 17,2% em relação ao valor apurado no mesmo período do ano passado, chegando a R$ 19,4 bilhões.

Por sua vez, os custos dos serviços prestados apresentaram aumento de 14,4%, atingindo R$ 16,6 bilhões. Assim, com o incremento dos custos em percentual menor do que o avanço da receita, o lucro bruto conjunto das três empresas cresceu 37,8%, passando de R$ 2 bilhões em 2018 para R$ 2,7 bilhões em 2019.

Ao considerar só o segundo trimestre, a receita operacional líquida cresceu 24,5% em relação ao mesmo período de 2018. Em contrapartida, o custo dos serviços prestados aumentou 11,8%.

Com isso, o lucro bruto consolidado das três empresas apresentou variação positiva de 337,1%, indo de R$ 306,1 milhões no de abril a junho de 2018 para R$ 1,3 bilhão de abril a junho deste ano.

O incremento nas receitas das empresas e, consequentemente, em seus lucros brutos foi influenciado em grande parte pela paralisação das atividades da Avianca no período, explica a Anac.

 

Agente de Valor
Ler conteúdo completo
Indicados para você