[ editar artigo]

Saiba quais países europeus reabriram suas fronteiras para as viagens de verão

Saiba quais países europeus reabriram suas fronteiras para as viagens de verão

Com a temporada de férias de verão chegando, as pessoas começaram a se perguntar se conseguiriam passar um tempo no exterior – e até onde poderiam ir.

A situação das fronteiras para os europeus continua a ser um quadro misto, com cada país impondo suas próprias regras e seu próprio calendário de reabertura.

Para nações fora do bloco, a UE abriu suas fronteiras externas para um grupo seleto de países, com base em seus registros de casos de COVID-19. A lista é atualizada quinzenalmente. 

Atualmente, cidadãos da Argélia, Austrália, Canadá, Geórgia, Japão, Marrocos, Nova Zelândia, Coreia do Sul, Tailândia, Tunísia, Uruguai e China podem entrar. EUA, Montenegro e Sérvia estão entre os países da lista de proibidos. Porém, os Estados Membros não são legalmente obrigados a seguir a recomendação da UE.

Devido ao ritmo das mudanças no relaxamento das regras, separamos uma lista com a situação dos principais destinos europeus:

Bélgica

As fronteiras foram reabertas para cidadãos da UE, do Reino Unido e dos outros quatro países (Suíça, Liechtenstein, Islândia e Noruega) pertencentes ao Acordo de Schengen – convenção entre países europeus sobre uma política de abertura das fronteiras e livre circulação de pessoas entre os países signatários.

No entanto, os viajantes que chegam de determinadas áreas da Espanha e Portugal e Leicester no Reino Unido devem fazer um teste  COVID-19 e ficar  em quarentena na chegada.

Todos os viajantes de transporte aéreo devem preencher um formulário de localização de passageiros em saúde pública e entregá-lo às autoridades de fronteira.

As viagens não essenciais para a UE e dos países pertencentes ao Schengen continuam proibidas.

Bósnia e Herzegovina

A Bósnia abriu fronteiras em 16 de julho para cidadãos da UE e países pertencentes ao Schengen que testaram negativo para COVID-19.

Ainda existe uma proibição de viagem para todos os outros estrangeiros, embora pessoas com circunstâncias especiais (como tratamento médico, reunião de negócios, funeral, ou que estejam na companhia de um cônjuge que seja cidadão bósnio) possam ter permissão para entrar. No entanto, um teste COVID-19 negativo ainda pode ser necessário.

Bulgária

A Bulgária abriu suas fronteiras em 1º de junho para os países da UE, Reino Unido, San Marino, Andorra, Mônaco, Vaticano, Sérvia e Macedônia do Norte, bem como para médicos e familiares de cidadãos búlgaros.

Os viajantes da Austrália, Canadá, Geórgia, Japão, Marrocos, Nova Zelândia, Coreia do Sul, Tailândia, Tunísia, Uruguai, Ucrânia e Israel agora também são permitidos.

A lista de países que não estão sujeitos a uma proibição de viagem ou obrigação de quarentena é atualizada periodicamente.

Turistas vindos de Portugal, Suécia, Israel e qualquer país não mencionado acima devem entregar um teste de PCR negativo feito até 72 horas antes da chegada ou passar por uma quarentena de 14 dias.

Além disso, turistas de outros países devem enviar uma declaração reconhecendo que foram informados sobre as medidas antiepidêmicas do país e os riscos associados à COVID-19 ao inspetor de saúde da fronteira.

República Checa

As fronteiras com a Áustria e a Alemanha reabriram em 5 de junho, dez dias antes do esperado. O país abriu sua fronteira com a Eslováquia e a Hungria em 27 de maio, mas com restrições.

Os outros países da UE foram divididos em grupos, onde o  nível de risco é determinado pelas cores: verde, laranja e vermelho.

Todos os Estados Membros da UE estão agora no grupo verde (de baixo risco). A eles se juntam Islândia, Japão, Canadá, Noruega, Tailândia e Reino Unido.

As pessoas do grupo laranja devem ter um certificado de saúde válido para entrar, enquanto as condições de teste e quarentena se aplicam às pessoas do grupo vermelho.

França

Viajantes dos Estados Membros da UE, bem como Andorra, Islândia, Liechtenstein, Mônaco, Noruega, San Marino, Suíça e Vaticano têm permissão para visitar o país desde 15 de junho sem um certificado de saúde ou qualquer forma de quarentena na chegada.

De acordo com o Ministério de Relações Exteriores da França, os passageiros da Espanha e do Reino Unido devem se submeter a uma quarentena voluntária, "em reciprocidade" às regulamentações vigentes nos dois países.

Segundo a recomendação do Conselho da UE, a França reabriu suas fronteiras para 15 países em 1º de julho. A lista é revisada regularmente.

Alemanha

Em 15 de junho, a Alemanha suspendeu as restrições de fronteira para viajantes vindos da UE, Suíça, Noruega, Islândia, Liechtenstein e Reino Unido.

O país, no entanto, decidiu prorrogar até 31 de agosto suas advertências sobre viagens para fora da UE. Além disso,, os turistas que visitarem o país devem ficar em quarentena por 14 dias.

Grécia

O Ministério de Relações Exteriores publicou no dia 31 de maio seu plano de reabertura de fronteiras, que envolvia três fases diferentes.

Na Fase 2, as viagens turísticas dos países da UE foram retomadas em 15 de junho, com voos nos aeroportos de Atenas e Salonica.

Viajantes provenientes de qualquer um desses aeroportos listados pela Agência Europeia para a Segurança da Aviação, bem como Itália, Espanha, Holanda ou Suécia são obrigados a fazer o teste COVID-19.

Somente viagens essenciais da Albânia e da Macedônia do Norte são permitidas enquanto a proibição de viagens do Reino Unido e da Turquia é mantida e todos os visitantes estão sujeitos a testes.

A Fase 3 começou em 1º de julho. Os voos internacionais são permitidos em todos os aeroportos da Grécia e todos os viajantes estão sujeitos a testes na chegada.

Ainda de acordo com o Ministério das Relações Exteriores, restrições adicionais a certos países serão anunciadas  de acordo  com os casos de COVID-19.

As chegadas por via marítima também começaram a ser permitidas em 1º de julho, com testes para todos os viajantes.

Itália

As fronteiras na Itália abriram em 3 de junho para cidadãos da UE, Reino Unido,  países pertencentes ao Schengen, Andorra, Cidade do Vaticano, San Marino e Mônaco, após um bloqueio nacional que entrou em vigor em 9 de março.

Os viajantes que chegam da Bulgária e da Romênia, no entanto, precisam cumprir quarentena por 14 dias, assim como todos os passageiros que não são de um dos seguintes países: Áustria, Bélgica, Chipre, Croácia, Dinamarca, Estônia, Finlândia, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Irlanda, Letônia, Lituânia, Luxemburgo, Malta, Holanda, Polônia, Portugal, República Tcheca, Eslováquia, Eslovênia, Espanha, Suécia, Islândia, Liechtenstein, Noruega, Suíça, Reino Unido, Andorra, Mônaco,  República de San Marino ou do Estado da Cidade do Vaticano.

Até 31 de julho, a entrada na Itália estava proibida para a maioria dos passageiros que, nos 14 dias anteriores à chegada, permaneceram ou transitaram em qualquer um dos seguintes países: Armênia, Bahrein, Bangladesh, Bósnia e Herzegovina, Brasil, Chile, Kosovo, Kuwait, Macedônia do Norte, Moldávia, Montenegro, Omã, Panamá, Peru, República Dominicana e Sérvia.

Todos os viajantes que chegam à Itália precisam preencher um formulário de passageiro no site do Ministério das Relações Exteriores, que também possui atualizações sobre as restrições de viagem para o país.

Todos os navios de cruzeiro de passageiros italianos suspenderam as atividades até novo aviso.

Portugal

Cidadãos de países da UE, Schengen e passageiros em voos do Reino Unido, Brasil, Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, EUA, Canadá, Venezuela e África do Sul são permitidos no país.

O controle de fronteiras está em vigor desde 16 de março. Atualmente, não é necessário que as pessoas cumpram quarentena, exceto nos Açores e na Ilha de Madeiras. Já a  fronteira com a Espanha reabriu em 1º de julho.

Espanha

A Espanha reabriu suas fronteiras com os Estados Membros da UE, os países da área de Schengen e o Reino Unido em 21 de junho. Nenhum desses viajantes precisa cumprir quarentena.

Portugal havia sido a única exceção ao exposto, mas a fronteira entre os dois países reabriu em 1º de julho. 

Reino Unido

As fronteiras estão abertas no momento. Desde 8 de junho, os visitantes do exterior precisam ficar em quarentena por 14 dias. Os isentos dessas medidas incluem pessoas que viajam da Irlanda, das Ilhas Anglo-Normandas ou da Ilha de Man.

Como em outros países, certas profissões estão isentas dessas regras, como profissionais de saúde que viajam para prestar assistência médica no país. Na chegada, aqueles que precisam cumprir quarentena devem informar todos os detalhes da sua estadia.

A Inglaterra cancelou suas regras de quarentena em 10 de julho para vários países que considerava de baixo risco, incluindo França, Espanha, Alemanha e Itália. No entanto, reposicionou uma ordem de quarentena para viajantes espanhóis em 24 de julho e para luxemburgueses em 31 de julho.

Agente de Valor
Ler conteúdo completo
Indicados para você