[ editar artigo]

Manchas de óleo atingem mais de 130 praias no Nordeste

No inicio do mês de setembro, diversas praias da região do Nordeste do Brasil registraram manchas de óleo. Uma análise realizada pela Marinha e a Petrobrás aponta que o material encontrado não é brasileiro.

Na última segunda-feira (7), de acordo com a Agência Brasil, o presidente Jair Bolsonaro declarou que havia uma suspeita sobre a mancha de petróleo encontrada, mas ainda não poderia revelar a sua origem.

"Aproximadamente 140 navios fizeram trajeto por aquela região. Então, pode ser algo criminoso, pode ser um vazamento acidental, pode ser um navio que naufragou também. Agora, é complexo, existe a possibilidade, temos no radar um país que pode ser o da origem do petróleo. Assim, continuamos trabalhando da melhor maneira possível não só para dar uma satisfação para a sociedade, como colaborar na questão ambiental", afirmou o presidente.

Em levantamento divulgado pelo Ministério do Meio Ambiente, 138 praias e 61 municípios de nove estados do Nordeste haviam sido afetados até hoje. Clique aqui para ver as áreas afetadas.

De acordo com esse levantamento, o Sergipe é a região mais afetada e o estado declarou emergência. O governo do Estado de Sergipe  anunciou que tem trabalhado em soluções para minimizar o impacto das manchas no litoral.

Manchas de óleo no Sergipe

Sendo assim, o governo emitiu um alerta informando aos turistas e moradores que o praias sergipanas estão consideradas impróprias para o banho. O alerta é dos órgãos ambientais que monitoram o ocorrido na costa de todos os estados do Nordeste, desde o aparecimento da primeira mancha de óleo em Pernambuco.

Para que não ocorra nenhum problema, o governo do Sergipe emitiu um alerta que busca proteger os moradores e visitantes do contato com a substância.

Além disso, a Secretaria Estadual de Desenvolvimento Urbano e Sustentabilidade afirmou que apesar das amostras de água coletadas apresentarem balneabilidade, as águas estão impróprias para banho. A recomendação é que a população evite os locais atingidos pelo fato de serem prejudicial a saúde

Na segunda-feira (7), o Ministro do Meio Ambiente, Ricado Salles visitou as regiões afetadas no Sergipe. Após sobrevoar a região litorânea, o ministro acompanhou uma limpeza local.

"Viemos aqui cumprindo uma determinação do presidente da República, para tomar as medidas urgentes contra a poluição. Além de determinar a resposta técnica para aquilo que pode ser a origem desse vazamento de óleo, que até o momento não se sabe com precisão”, disse o ministro.

Em todo o litoral nordestino, até a última segunda-feira, já haviam sido recolhidas cerca de 100 toneladas do material. As ações de monitoramento e limpeza das praias estão sendo coordenadas pelo Ibama, em conjunto com o ICMBio, órgãos estaduais, municípios e Marinha e apoio da Petrobras.

De acordo com as autoridades sergipanas, um gabinete de crise foi criado no último sábado (5). Equipes da Administração Estadual do Meio Ambiente, Adema têm percorrendo todo o litoral. Além do mais, o Ibama juntamente com as outras autoridades, têm realizado monitoramento diário.

 

Agente de Valor
Ler conteúdo completo
Indicados para você