[ editar artigo]

Machu Picchu: reabertura da cidadela de pedra

Machu Picchu: reabertura da cidadela de pedra


A cidadela Inca de Machu Picchu, no Peru, retomou suas atividades turísticas no dia 1º de novembro. O emblemático local ficou fechado por quase oito meses.

Os novos protocolos de segurança sanitária contra o coronavírus preveem uma liberação de 30% da capacidade de turismo do local.

Com a reabertura, a esperança renasce em Cusco (a antiga capital do Império Inca) e nos povoados do Vale Sagrado dos Incas, que são paradas obrigatórias em direção a Machu Picchu. O turismo é responsável por 70% da economia regional.

Desde que o santuário Inca começou a receber turistas de forma massiva em 1948, com a construção de uma rodovia saindo de Águas Calientes, Machu Picchu não havia sido fechada por um período de tempo tão longo. Somente em 2010, após chuvas torrenciais e inundações que interromperam a ferrovia, principal acesso à cidadela.

Segundo Joaquin Randall, presidente da Associação de Hotéis e Restaurantes da cidade localizada a 52 km da cidadela, 50% dos hotéis e albergues de Ollantaytambo fecharam. Ainda de acordo com Randall, os estabelecimentos formais, que pagam impostos e estão em dia com o Estado, têm conseguido empréstimos do governo, mas as inúmeras acomodações informais não.

A reabertura traz esperança a milhares de pessoas que vendem artesanato, transportam turistas ou trabalham com outros ofícios ligados ao turismo.

A reativação do turismo peruano

Segundo o ministro da Cultura do Peru, Alejandro Neyra, apenas 675 visitantes por dia poderão visitar Machu Picchu (30% da capacidade). A entrada no parque foi inicialmente gratuita para contribuir com a reativação do turismo no país.

Além disso, os visitantes só podem entrar em grupos de oito pessoas, acompanhados por um guia, com máscara e mantendo uma distância de segurança de dois metros.

Boas vibrações e renovação de energia

Descoberto em 1911 e declarado Patrimônio Mundial da Humanidade pela Unesco em 1983, Machu Picchu, um dos sítios arqueológicos mais importantes do mundo, recebia até cinco mil visitantes na alta temporada.

Quem visitou a “cidade perdida dos incas” afirma que o lugar, além de ser repleto de história, transmite boas vibrações e renova as energias. Entre os atrativos estão os templos do Sol e do Condor e a Pedra de Intihuatana.

E você, pronto para renovar suas energias na cidadela Inca? Deixe seu comentário!

Agente de Valor
Ler conteúdo completo
Indicados para você