[ editar artigo]

“Great Southern Land”: voo panorâmico pelos destinos icônicos da Austrália

“Great Southern Land”: voo panorâmico pelos destinos icônicos da Austrália

O voo apelidado de "Great Southern Land" foi executado no sábado, 10 de outubro, a bordo de um Boeing 787 Dreamliner e passou pelos distritos de New South Wales, Queensland e o Northern Territory.

Depois de subir a costa de New South Wales e cruzar a fronteira de Queensland para sobrevoar Gold Coast, Brisbane e Sunshine Coast, o Dreamliner continuou em direção norte para sobrevoar Whitsundays e a Grande Barreira de Corais. Em seguida, ele percorreu todo o país até Uluru e Kata Tjuta para mostrar o icônico centro vermelho.

A rota de voo foi projetada pela tripulação da Qantas para mostrar a paisagem australiana de uma perspectiva diferente, e sem ter que se preocupar com o contínuo fechamento das fronteiras.

As primeiras passagens se esgotaram em menos de dez minutos quando foram anunciadas em setembro.

Os preços dos bilhetes variaram de U$S 787, na classe econômica a U$S 3.787 na classe executiva. As vagas limitadas proporcionaram aos passageiros maiores chances de apreciar a vista.

Na classe econômica, os assentos intermediários foram deixados abertos para permitir o distanciamento social. Outras medidas de saúde e segurança também foram implementadas para proteger os passageiros da Covid-19.

Além disso, os viajantes receberam café da manhã no lounge da Qantas, um kit com guloseimas, um pijama icônico da Qantas Business Class e entretenimento ao vivo.

Viajando a bordo do Qantas Boeing 787 Dreamliner, os passageiros observaram os marcos australianos de um ponto de vista espetacular enquanto a aeronave descia intermitentemente a cerca de quatro mil pés (equivalente a 1.200 metros).

Em tempos de crise, companhias aéreas investem em criatividade

Os interessados ​​em acompanhar o voo panorâmico da Great Southern Land desde o solo puderam fazê-lo em tempo real via flightradar24.com.

O voo também contou com duas ligações solo-ar via satélite pelo PA (sistema de microfones) da aeronave para que os passageiros ouvissem fatos históricos em primeira mão de especialistas locais enquanto sobrevoavam por Whitsundays e Uluru.

A Qantas afirmou que o voo panorâmico foi inspirado no desejo de seus passageiros pelo “Canguru Voador”: eles queriam uma oportunidade de desfrutar um pouco da hospitalidade do “espírito australiano” da companhia aérea, mesmo que não pudessem viajar como normalmente faziam.

A Singapore Airlines também está considerando realizar seu próprio “voo para lugar nenhum”, com voos panorâmicos do e para o Aeroporto de Changi com duração de cerca de três horas. A companhia aérea ainda não tomou uma decisão final, embora espere que essa prática impulsione o turismo doméstico se agrupados como parte de um pacote staycation (experiência de ser turista na própria cidade).

No mês de agosto, a All Nippon Airways (ANA) também operou um curto voo panorâmico no Japão, a companhia aérea buscou replicar “a experiência de resort havaiano”, com 300 passageiros embarcando em uma viagem de 1,5 hora.

Também em agosto, a companhia EVA Air operou um voo com base em Taiwan para "lugar nenhum" a bordo de seu jato A330 Dream, com o tema Hello Kitty.

Para os próximos meses, a Qantas está planejando voos fretados para a Antártica, o que permitirá que os passageiros a bordo de um 787 Dreamliner desfrutem de paisagens geladas entre a decolagem e o pouso em Sydney.

E você, gostaria de participar de um “voo para lugar nenhum”? Deixe seu comentário!

Agente de Valor
Ler conteúdo completo
Indicados para você