[ editar artigo]

GP Brasil de F1 aumenta ocupação da hotelaria

GP Brasil de F1 aumenta ocupação da hotelaria

Durante o feriado prolongado da Proclamação da República o número de hóspedes em São Paulo deve aumentar. Por exemplo, o GP Brasil de F1 acontecerá durante o feriado, com isso, o resultado esperado é aumento na a taxa de ocupação.

Segundo pesquisa do Centro de Inteligência e Economia do Turismo, da Secretaria de Turismo do Estado, está em 79,2%, 13% a mais do que a média para o mês nos últimos cinco anos, de 70%. “Isso é muito sintomático, pois demonstra uma qualificação do turista que visita a capital”, diz Vinicius Lummertz, secretário de Turismo.

Há hotéis com mais de 90% de ocupação. “O feriado prolongado e mais pessoas de fora circulando pela cidade farão com que diversos segmentos econômicos sejam positivamente impactados. Esse impacto começará pelo comércio”, acredita Lummertz. Os feriados nacionais são particularmente benéficos para os centros populares de comércio, como as regiões da 25 de Março, Santa Efigênia e Brás. Portanto, com turistas de maior poder aquisitivo, como os atraídos pela F1, é esperado também um movimento extra nos shoppings e restaurantes de maior renome.

Para fazer a pesquisa, o Centro de Inteligência da Secretaria de Turismo pesquisou 80 hotéis de várias categorias. Os mais próximos do autódromo, naturalmente, conseguem atrair mais turistas. Os localizados nas regiões dos Jardins e Avenida Paulista também alcançaram bons índices.

Leia também: Experiências ao ar livre pelo sul dos Estados Unidos

Audiência

Além do impacto econômico e social, já que são gerados cerca de 20 mil empregos temporários, a F1 ainda tem um grande apelo de audiência, que chega a 490 milhões de pessoas em todo o mundo. “Por ser a única etapa da América do Sul, além de um evento reconhecido por seu alto nível e exigências, o GP Brasil ajuda a ilustrar as características da Marca São Paulo, o posicionamento que o Estado vem buscando para se diferenciar no cenário mundial do turismo”, diz o secretário Lummertz, que já foi presidente da Embratur e ministro de Turismo. Toda essa audiência está dividida em vários emissores de turistas para o Brasil, como Estados Unidos, China e países europeus.

Do público presente no autódromo, 77% são de outras cidades, o que caracteriza a F1 como um dos eventos de maior atração proporcional de turistas. Outros eventos – como as feiras comerciais ou mesmo os megashows – têm como foco principal o morador da Grande São Paulo.

Turistas, principalmente de outros estados e países, representam maior consumo na cidade, principalmente em restaurantes, atrativos turísticos, casas noturnas e compras. Em média, este visitante fica três dias na cidade. “São os gastos mais democráticos, visto que injetam imediatamente dinheiro em diversas frentes, dos motoristas de táxi e de aplicativo aos restaurantes estrelados, dos hotéis de todas as categorias ao comércio mais popular”, lembra Lummertz.

Estudo de impacto econômico realizado pela Fipe/USP indica que o GP Brasil possui um grande coeficiente de alavancagem de recursos: para cada R$ 1,00 investido no evento, são injetados na economia da cidade cerca de R$ 3,20, considerando gastos do público, contratação de serviços para o evento e outros investimentos paralelos.

Agente de Valor
Ler conteúdo completo
Indicados para você