[ editar artigo]

Enoturismo: turismo associado à cultura, tradição e apreciação de vinhos

Enoturismo: turismo associado à cultura, tradição e apreciação de vinhos

Seguindo a tendência da retomada das atividades turísticas no Brasil, que aponta para a preferência por viagens curtas e em meio à natureza, o segmento de enoturismo está em plena recuperação. 

O turismo associado à cultura, tradição e apreciação de vinhos está cada vez mais fortalecido no país, juntamente com a estrutura de atendimento aos turistas com hotéis, pousadas, bares e restaurantes. 

O enoturismo é um dos nichos responsáveis por muitas viagens pelo Brasil. De acordo com a União Brasileira de Vitivinicultura (Uvibra), antes da pandemia, o número de “enoturistas” teve um crescimento de 10% a 15% ao ano. Apenas a cidade de Bento Gonçalves (RS) recebeu mais de 1,5 milhão de turistas em 2019, sendo 500 mil somente no Vale dos Vinhedos. A expectativa é que em 2021 o setor possa aumentar esses números.

Período de vindima no Brasil

 

O cenário fica ainda mais promissor com a chegada da vindima, que é o período de colheita das uvas (janeiro, fevereiro e março). Quem mora ou conhece alguma região vitícola sabe que esta época é sinal de celebração e de muito trabalho – especialmente no Vale dos Vinhedos, que abre suas portas para turistas nacionais e internacionais.

Neste período, é possível vivenciar as práticas e os costumes mais clássicos da  cultura do vinho. Visitar a região na estação mais quente e saborosa do ano pode trazer uma vivência inesquecível com a imersão cultural promovida pelas vinícolas.

Vale dos Vinhedos: vinícolas gaúchas reabrem à visitação

O Vale dos Vinhedos, a aproximadamente 120 km da cidade de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, pertence à Serra Gaúcha e compreende os municípios de Bento Gonçalves, Garibaldi e Monte Belo do Sul. A região é conhecida mundialmente como a principal produtora de uvas para vinhos finos do Brasil, sendo também referência em enoturismo.

É importante salientar que o Vale dos Vinhedos é a primeira região brasileira oficialmente reconhecida como Indicação Geográfica e a ter Denominação de Origem (DO), uma classificação exclusiva, garantindo qualidades únicas aos vinhos e espumantes produzidos ali.

Em outubro de 2020, vinícolas gaúchas reabriram as portas ao público com número restrito de visitantes, alguns serviços suspensos e agendamento prévio. Apesar das limitações, a lista de espera é grande para os passeios nos parreirais e entre os barris de vinho.

Antes de iniciar a visitação, os turistas têm a temperatura aferida e precisam obrigatoriamente usar máscara. O item só é retirado nas degustações, que ocorrem em mesas espaçadas ou em pé, sem lugar para apoio das taças.

Estamos passando por um período atípico e todos os setores do Turismo precisaram se readequar. Felizmente, o enoturismo é capaz de aliar atividades com temas ligados à gastronomia e outras práticas a céu aberto, como piqueniques, caminhadas e passeios de bike (no período máximo de 2 horas).

Com paisagens dignas de verdadeiros cartões-postais, o Vale dos Vinhedos carrega o legado histórico e cultural deixado pelos imigrantes italianos. Os costumes e tradições estão estabelecidos nas pessoas e nos cenários locais.

Para verificar a situação atual de cada estabelecimento antes de fazer as malas, basta entrar no site Brasil de Vinhos.

Agente de Valor
Ler conteúdo completo
Indicados para você